Mais de 90% de câncer de cólon podem prevenir

A Cada ano que se conhecem em Portugal 31.000 novos casos de câncer de cólon. Com motivo do Dia Mundial do câncer de cólon, os especialistas pedem conscientização sobre essa doença e a importância do diagnóstico precoce

Réplica de 30 metros de comprimento de um intestino humano. EFE/Ralf Hirschberger

Artigos relacionados

Segunda-feira 10.09.2018

Sexta-feira 07.09.2018

Sexta-feira 07.09.2018

A luta contra o câncer de cólon ganhou vida em madrid Plaza de Colón. Merck Espanha, o Grupo Português de Pacientes com Câncer (GEPAC) e Europa Cólon foram os encarregados de transmitir uma mensagem em favor da prevenção.

O cólon é a coroa como o câncer com maior incidência no nosso país. Seiscentos e são os novos casos que são diagnosticados a cada semana, o que representa um total de mais de 31.000 novos pacientes por ano em Portugal.

“É uma doença que se pode prevenir em 95% das vezes, se todas as pessoas maiores de 50 anos e, claro, os pacientes com antecedentes familiares se fizessem testes de forma periódica”, garante o doutor Gonzalo Guerra Seta, especialista em aparelho digestivo do Centro Médico-Cirúrgico de Doenças Digestivas (CMED).

Mais prevenção, menos tragédia

Testes de diagnóstico, como a colonoscopia, permitem visualizar o interior do cólon. Na mucosa do intestino grosso podem crescer pólipos, que são massas tumorais benignas, embora, com o passar do tempo e sem ser extirpadas podem se tornar malignos. Estas são a origem da maioria dos cânceres de cólon.

“A colonoscopia permite aos especialistas identificar a presença e a localização de um câncer de cólon, mas também nos permitem realizar um tratamento terapêutico, como é a remoção de pólipos”, afirma o doutor Guerra Seta.

“Em pessoas com antecedentes familiares, é fundamental fazer um esquema de diagnóstico personalizado, já que até 20% dos casos, o câncer de cólon pode ser hereditária”, explica o doutor Óscar Alonso, membro do Serviço de Oncologia e Cirurgia Digestiva do MD Anderson Cancer Center, em Madrid.

Além desta, existem outros testes que permitem realizar um diagnóstico precoce desta doença, que provoca mais de 14.000 mortes por ano em Portugal:

  • A colonoscopia virtual: permite uma visão em 3D do cólon sem as complicações da colonoscopia tradicional.
  • O teste de sangue Septina 9: detecta um gene metilado e que está presente em 90% dos cânceres de cólon.
  • O teste de sangue oculto nas fezes: o rastreio celular em fezes e as determinações genéticas conseguem detectar essa doença aumentando a sua cura quase 90% dos casos.

De fato, os fatores de risco que aumentam a chance de desenvolver esta doença e que devem ser evitados são a alimentação rica em gorduras, a ingestão de álcool, o tabagismo e o sedentarismo.

O rastreio como medida preventiva

Durante o peneiramento, não apenas se observam os tumores avançados, mas que também se encontram precánceres. O efeito de diagnosticar a doença, adicionamos o de evitar tumores no futuro.

Em Portugal, desde há alguns meses, o sistema nacional de saúde incluiu os testes de rastreio do cancro do cólon dentro da carteira de serviços médicos.

“A importância que tem o rastreio é que, se esperamos que os sintomas aparecem, a probabilidade de cura é menor porque o tumor tem características que o fez invasivo. Se conseguimos diagnosticar o tumor a tempo, o tratamento é mais eficaz e conseguimos uma sobrevivência que pode chegar a 90%”, explica o doutor Fernando Carvalho, responsável de excelência clínica da Sociedade Espanhola de Patologia Digestiva (AEPD).

Sim, o câncer de cólon tem tratamento

A cirurgia é o tratamento de escolha para o câncer de cólon em fases iniciais. Em alguns casos você precisa de radioterapia e/ou quimioterapia adicional. Cada processo terapêutico deve ser adaptado ao perfil de cada paciente, o que sem dúvida aumenta de forma direta as chances de cura.

Ao mesmo tempo, o estado e a localização do tumor também são determinantes na hora de escolher o tratamento mais adequado por parte da equipe médica.

E quais foram os sintomas?

Frequentemente não produz sintomas em suas fases iniciais e, na maioria dos casos, começa com um pequeno pólipo na parede do cólon que aumenta de tamanho. No entanto, quando a doença já está um pouco avançada, os sintomas podem começar a manifestar-se, por isso é importante o diagnóstico precoce. Estes são variados e dependem da localização do tumor. Os mais frequentes são:

  • Presença de sangue nas fezes
  • Alterações no ritmo intestinal
  • Fezes mais estreitas
  • Sensação de evacuação incompleta
  • Dor abdominal
  • Cansaço e perda de peso sem causa aparente

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply