México aprova a primeira vacina contra a dengue do mundo

As autoridades sanitárias do México autorizou a primeira vacina contra a dengue do mundo, após comprovar a sua qualidade, segurança e eficácia terapêutica em um protocolo global em que participaram mais de 40.000 pacientes

Larvas do mosquito que causa a doença da dengue. EPA/ Ahmad Yusni

Quarta-feira 09.12.2015

Terça-feira 25.08.2015

Quarta-feira 03.09.2014

Segunda-feira 21.07.2014

A Secretaria de Saúde declarou em um comunicado que a vacina foi aprovada após um processo de análise de mais de dois anos, que incluiu um intercâmbio de informações com os principais especialistas na matéria a nível nacional e internacional.

A vacina, desenvolvida pela Sanofi Pasteur e cuja aprovação por parte da Comissão Federal para Proteção contra Riscos para a Saúde (Cofepris) coloca ao México “a vanguarda regulatória”, é indicada para pessoas entre 9 e 45 anos, que vivem em áreas onde a dengue é endêmica.

Funciona para os quatro sorotipos do vírus causador da doença e “tem uma eficiência média de 60,5 % para a prevenção de dengue e de um 93,2 % para a prevenção de dengue grave”.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 40% da população mundial está em risco de contrair dengue, o que equivale a 3.900 milhões de pessoas.

“Estima-Se que cerca de 400 milhões são contagiados cada ano em mais de 128 países ao redor do mundo”. No México, no ano passado foram registrados 32.100 casos, dos quais 23.432 correspondem a dengue não grave e 8.668 a dengue grave”, detalhou a Secretaria de Saúde.

O custo social associado à dengue, acrescentou, ultrapassou 3 bilhões e 200 milhões de pesos mexicanos (cerca de 188 milhões de dólares) em 2014, o que equivale a 2,5 % do orçamento previsto para todo o setor da saúde no brasil para 2016.

A vacina pode prevenir mais de 8.000 internações no México, 104 mortes anuais e gerar economia para as finanças públicas por 1.100 milhões de pesos (cerca de 65 milhões de dólares) por ano com a redução de custos associados aos cuidados de saúde, estimou.

A Cofepris pediu a farmacêutica francesa um plano de gerenciamento de riscos, concebido especialmente para o México, que inclui um registo electrónico da população vacinada e relatório de reações adversas”, através de centros médicos sentinelas localizados em populações endêmicas em que a mesma seja aplicada”.

O diretor executivo do Sanofi Pasteur, Olivier Brandicourt, celebrou a primeira autorização da vacina, que qualificou como um “marco histórico” para a empresa, para a saúde pública”, e ainda mais importante, para a metade da população mundial que vive em situação de risco para a dengue”.

A aprovação chega após um amplo programa de desenvolvimento clínico em que participaram mais de 40.000 pessoas de 15 países, entre eles alguns da América Latina.

O México é, juntamente com as Filipinas a única nação do planeta que participou das três etapas do processo de testes clínicos de uma década, iniciado em 2004.

A companhia anunciou em um comunicado que a produção de uma vacina contra a dengue já começou em França, pelo que as primeiras doses estão disponíveis.

Ele observou que o processo de revisão regulatória para a vacina contra a dengue continua em outros países endémicos e reiterou seu compromisso de lançar a vacina primeiramente naquelas nações onde o dengue é uma prioridade de saúde pública maior.

O vírus da dengue é transmitido pelo mosquito “Aedes aegypti” e os sintomas da doença incluem febre alta, enxaquecas, dor muscular e nas articulações, vômito, dor de olhos e um característico erupção cutânea.

De pessoas infectadas anualmente, dois milhões de pessoas, sobretudo crianças, desenvolvem a variedade hemorrágica, que pode ser fatal.

Apresenta-Se principalmente em climas tropicais e subtropicais do planeta, tanto em áreas urbanas e suburbanas, e o custo direto e indireto estimado da dengue é de 9.000 milhões de dólares por ano a nível global.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply